Em cartaz #27: Haruki Murakami

Foi exatamente assim que eu conheci o Haruki Murakami: estava olhando livros na internet, me deparei com esse que tinha uma capa maravilhosa. Depois notei que tinham outros da mesma edição. As capas, os títulos, as sinopses, tudo me chamava atenção! Mas fui super controlada e não comprei.

 photo murakami8_zps3510f854.jpg

 photo murakami5_zpsd91ef5d2.jpg

 photo murakami3_zps191155fb.jpg

Três coisas aconteceram desde então. A Camila, do Não me mande flores, e a Nina, do Cronista Amadora, falaram sobre alguns dos livros do Murakami no blog delas e eu achei super coincidência porque foi na mesma semana. Elas falaram bem demais, a resenha da Nina foi maravilhosa e na hora me convenci de que seriam livros que eu gostaria de ler.

E aí, ainda na mesma semana, não sei como cheguei lá, mas encontrei esse filme chamado Como na Canção dos Beatles: Norwegian Wood e a primeira coisa escrita na sinopse era: baseado no livro de Haruki Murakami. Então ok, eu aceitei que era um sinal. Recebi o sinal e estou com ele guardado aqui.

Não, não comprei e não li nada dele ainda. Já estive com os livros nas mãos duas vezes, mas não levei por problemas de codinome ‘pouco dinheiro’. Mas estão na minha lista. Aceito de presente, inclusive, o Natal está aí hoho.

 photo murakami6_zpsd6c02819.jpg

Bom, mas o post de hoje é sobre as capas dos livros dele, que foi o que me chamou atenção lá na primeira vez que eu os vi. Sou compradora de livros pela capa, então…

Tem muitas e muitas edições lindas, tanto brasileiras quanto estrangeiras. Infelizmente não encontrei muitas imagens em boa qualidade. Mas separei algumas que eu achei bonitas e originais!

 photo murakami1_zps66b7a359.jpg

 photo murakami2_zps085911b3.jpg

 photo murakami10_zpsc6d08393.jpg

 photo murakami4_zpsc19e6b85.jpg

 photo murakami1_zpsc950a34c.png

 photo murakami9_zps27f651c9.jpg

 photo murakami7_zps0350df45.jpg

Apesar de não ter visto fisicamente, essa última capa é a que achei mais bonita. Adorei o toque antiguinho do design e da ilustração. Por mais que eu tenha acho lindas as capas brasileiras num primeiro momento e que eu goste bastante desse minimalismo, as estrangeiras são mais charmosas.

E as edições publicadas pela editora Vintage (são aquelas várias capas uma do lado da outra ali de cima)? Elas parecem feitas de colagens, então acabam tendo um efeito surreal bem interessante. After Dark e South of the border, west of the sun são minhas preferidas!

Então, gente, agora quero saber de vocês. Também gostam das capas? Quem já leu Murakami aí? O que me indicam? Estou perdida nesse mar de possibilidades, haha!

Boa semana pra todo mundo!

Anúncios

8 comentários sobre “Em cartaz #27: Haruki Murakami

  1. Carol, o último livro dele, “O incolor Tsukuru Tazaki e seus anos de peregrinação” está super bem falado. Todo mundo que lê, ama! Eu pedi esse livro de amigo oculto (junto com outras possibilidades), vamos ver se eu vou ganhar… : )

    Mas não tem muito mistério não, tudo que eu li dele até hoje eu gostei demais.

  2. Sou meio avesso a livros que todo mundo gosta e todo mundo quer ler, mas respeito muito o Murakami, ele tem uma escrita bem leve e sabe envolver o leitor com os personagens. Sem contar o quanto ele mostra sobre a cultura do seu país.

    Apesar de tudo, Murakami não é pra mim.

    Esse tal de dinheiro sempre trazendo problemas…rsrsrsrs…espero que você ganhe de presente e aposto que você vai gostar.
    Bjos

  3. Eu tenho algum histórico com os livros do Murakami. Comecei por Minha Querida Sputnik, comprado às cegas, por causa da sinopse e da capa. Li em dois dias, o que pra mim é raro já que eu não sou um leitor rápido. Então eu peguei Norwegian Wood e li em um dia só. Pra mim o livro foi fascinante, me pegou no momento certo com a história certa e até hoje eu considero que é o melhor dele. Li Após o Anoitecer e Kafka à Beira Mar, livros bem diferentes dos primeiros dois, mais puxados pro lado do realismo mágico, que eu também gostei muito. Então li Caçando Carneiros ainda na tradução americana e não gostei tanto. Culpo a tradução, que o próprio Murakami disse não ser precisa.

    Apesar das capas serem mais bonitas, não indico as edições americanas. Alguém provavelmente vai discordar de mim, mas impliquei com a tradução. Pelo menos as do Alfred Birnbaum. O Jay Rubin é melhorzinho. Mas fique sabendo que as edições da vintage amarelam muito rápido, o papel é de péssima qualidade. As edições da Alfaguara são muito boas em todos os aspectos.

    Quanto a um livro pra indicar…eu prefiro Norwegian Wood. Mas é o livro mais realista dele, tanto que nem o Murakami gosta desse livro. Se estiver com vontade de ler algo mais pro realismo mágico, Caçando Carneiros, Wind-up Bird Chronicle (não sugiro pra iniciantes, é bem denso, mesmo com a boa tradução do Jay Rubin) ou Kafka à Beira Mar.

    Não assista o filme Norwegian Wood sem ler o livro antes. Você não vai entender nada, a história tá toda cortada. É uma beleza de se ver, mas o enredo é uma bagunça. Se quiser ver um Murakami no cinema, Tony Takitani, baseado em um conto do autor, é uma opção muito melhor.

    Desculpa por essa breve aula sobre Murakami, mas é que eu me empolgo falando sobre os livros dele. No meu blog deve ter umas sete resenhas entre livros e filmes.

    • Poxa, muito obrigada pelas dicas! Minha intenção era começar pelo Norwegian Woods mesmo ou então o Minha Querida Sputnik. Vou anotar as dicas dos filmes também e procurar suas resenhas lá no blog!
      Obrigada pelos seus comentários, são sempre muito construtivos! :)

O que você pensa sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s