Em cartaz #13: Melancholia

Hoje está em cartaz um dos meus filmes favoritosdavidainteira: Melancholia, escrito e dirigido por Lars von Trier.

No filme, acompanhamos a vida de duas irmãs, Justine (Kirsten Dunst) e Claire (Charlotte Gainsbourg) e de suas famílias mudarem dramaticamente após o anúncio de que o planeta Melancholia iria colidir com a Terra dentro de pouco tempo. O filme é uma ficção científica, anuncia uma catástrofe, mas que acho ser tanto da natureza, quanto da vida dos personagens.

O nome do planeta também não é apenas um nome. “Melancolia (do grego μελαγχολία – melagcholía; de μέλας – mélas, “negro” e χολή – cholé, “bílis”) é um estado psíquico de depressão com ou sem causa específica. Caracteriza-se pela falta de entusiasmo e predisposição para atividades em geral”, disse a Wikipedia. Eu diria que Claire é atingida pelo Melancholia mesmo antes de saber da notícia, dias antes, durante seu casamento. A forma como seu psicológico é afetado e como os acontecimentos no filme se encadeiam a partir daí é muito bem delineada e muito bem materializada. O que fazer quando você sabe que o mundo vai acabar?

Depois de ter assistido o filme algumas vezes, acho que a colisão dos dois planetas é bem menos impactante do que a influencia que isso pode causar em nós, meros mortais prestes a estrear o grand finale da vida de forma violentamente linda. A última imagem do filme, quando o planeta está chegando perto da Terra, é maravilhosa demais. Não seria uma forma ruim de morrer, combinemos.

Mas não encarem isso como spoiler, gente. O filme começa exatamente nesse momento com uma sequencia – como Lars von Trier costuma fazer – das mais bonitas que já vi até hoje.

Eu tive a felicidade de assistir na sala do cinema e me lembro que várias pessoas saíram no meio da sessão. Não sei exatamente o que elas foram esperando. Aliás, nem eu sabia, mas gostei demais do que vi. As imagens e a trilha são de tirar o fôlego. Só que não, não é um filme mamão com açúcar, mas só basta estar disposto a assistir. E isso vale pra qualquer filme, até para os mamão com açúcar.

 photo melancholia3_zps85190ad9.jpg

 photo melancholia4_zpsceb6a07d.jpg

Confesso que eu esperava mais dos cartazes. Acho que eu gosto tanto do filme, mas tanto, que é difícil pro cartaz ficar a altura. Esses dois primeiros são os que mais vi por aí. São bonitos, mas mais no nível do ok.

Gostei mais dos que aparecem aqui embaixo. Esse com as estrelas e constelações é muito bonito, mas acho que talvez pudesse passar a ideia de que é um filme de romance.

Sem dúvidas, meu preferido é o último, com os raiozinhos saindo dos dedos de Claire. Achei que manteve a coisa enigmática com muita classe. As cores também contribuíram bastante. Tons mais escuros e mais pastéis destacando os dois planetas em azul e vermelho no topo do cartaz. Bela combinação.

 photo melancholia2_zps325a8092.jpg photo melancholia5_zps82657f2a.jpg

 photo melancholia1_zps63a231af.jpg

Não sabia da existência desses últimos. Isso de fazer cartazes individualizados para os personagens me lembrou a sequencia divulgada na época do lançamento de Ninfomaníaca. Talvez ele goste de fazer isso, né? Acho legal, funciona bem para fazer um mistério na divulgação do filme.

 photo melancholia_ver5_zpsa2a10e93.jpg

 photo melancholia_ver8_zps078a51a8.jpg

Falar que coisa que a gente gosta é bom demais, né? Mas sempre fico com a sensação de que queria falar mais. Qualquer hora volto com esse filme aqui!

Boa semana, gente!

Anúncios

17 comentários sobre “Em cartaz #13: Melancholia

  1. Depois que comecei a me interessar por Direçao de Arte, não consigo não reparar na fotografia e no “todo” da cena. E nossa, esse cara consegue fazer cada coisa ne? Adorei a cena do 5:14
    Esse semestre decidi listar os filmes que quero assistir e por eqto to firme e forte vendo todos!! uahahuha Vou colocar esse na lista!

    • Pois é, depois que a gente começa a reparar nessas coisas é difícil voltar atrás, né?
      Ah menina, também to fazendo isso com meu namorado. Estamos vendo um filme por dia hahaha pelo menos nas férias temos que tentar cumprir com essas listinhas né?
      :*

  2. Fica até meio chato falar, por ser seu filme favorito, mas eu não gostei do filme. Entendi muito bem a ideia central que vai além do fim do mundo, só que mesmo assim não foi. É lindo o clip que ele monta, mas parece trabalho de publicitário. Em compensação a Kirsten está muito bem e linda como nunca se viu. Entre os cartazes eu gostei desse dos raios e das estrelas. Acho bem legal isso de cartazes individuais, bjos

  3. É um filme com camadas e mais camadas de coisas. Cada vez que a gente vê fico surpreso com a densidade das personagens. A gente realmente só vê um pedaço da vida deles e é esse resto todo que só se apresenta por pistas e rastros que torna o filme ainda mais interessante. Qualquer hora a gente vê de novo, sem deixar ele cair em esquemas de explicação redutores e calmantes…

  4. Eu gostei muito do filme, mas conheço um monte de gente que não gostou, não entendeu… A Kirsten Dunst está suuuper bem, as nuances da personagem dela são super sutis, me surpreendi com ela. E o meu cartaz preferido foi esse com a constelação no rosto da Claire, muito lindo!

  5. Olha, é um tanto chato, mas também nem curto muito esse filme. Já vi, revi, vi de novo, vi na faculdade já que foi tema de uma de nossas aulas de Turismo, e nada. Não consigo achar o Lars essa coca cola toda e fico sempre atordoada achando q essa cena maravilhosa do começo ou deveria ser só trailler ou nao deveria existir. Acho um ponto forte do filme o fato dele ter conseguido filmar um sentimento, sabe? ele conseguiu filmar a propria melancolia. Porém, acho que a Charlotte deixou a desejar e não acompanhou a Kirsten q foi maravilhosa. A Kirsten é depressiva, já viveu uns dramas com alcoolismo, então achei meio tenso ele escolher justamente essa atriz para fazer o papel. Parece que ela fez papel dela mesma, que ele a escolheu por isso, entao achei um jogo meio perigoso..na verdade eu esperei que o ultimo filme dele da ninfomaniaca fosse ser com ela, mas parece q ele preferiu a “atriz fetiche” dele.

    • Pois é, eu entendo. Isso de gostar de filme é muito subjetivo mesmo. Mas eu nem sou fã do Lars especificamente não. Achei que ele fez um bom trabalho nesse, mas Ninfomaníaca não gostei nem um pouco… Na verdade eu não vi praticamente nada dele, haha, só os mais famosos mesmo.
      Mas nem sabia disso da Kirsten. Realmente é uma situação delicada, mas ela aceitou, né? Vai saber!
      :*

  6. Ah Carol voc perguntou lá no blog se eu ja usava cabelo curto e eu já uso cabelo curto tem mais de 1 ano. cortei curtinho, q nem um da debora secco tem um tempo, aí foi crescendo crescendo, e no inicio do ano resolvi deixar crescer por conta do q falei no post, mas agora cortei de novo! hahahah adoro cabelo curto, bem mais pratico e nao incomoda tanto no calor do Rio!

  7. Eu sempre me interesso pelos filmes que você indica. Na verdade, o fato de você ter como seu filme favorito e algumas pessoas nos comentários falarem que não gostaram só atiça mais minha curiosidade, porque não parece ser um filme ‘fácil’. Confesso que não conheço muito da obra do Lars, mas em Constitucional vimos um filme “simples”, sem cenários, em tom sépia e com uma atriz até então desconhecida – Manderley. O filme nos prendia pela proposta interessante e, para falar a verdade, não estava dando nada no início, mas os questionamentos são interessantes e o final foi arrebatador.

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

  8. Oi Carol!!
    Lembro que quando eu vi esse filme ele mexeu demais comigo. A trilha sonora é perfeita para tudo o que acontece. Lembro que comecei vendo toda durona e terminei completamente desmontada, parecia que o planeta estava se aproximando. Apesar da fotografia linda, acho que não conseguiria assistir de novo (ou quem sabe fosse bom, vai saber qual seria a minha reação agora né?).
    Beijo!

  9. Voltei aqui pra falar que, finalmente assiste a esse filme. Entendi porque varias pessoas saíram da sala do cinema: não é um filme tradicional, que da todas as respostas, acho que o lars von trier usa um tema como foco, mas na realidade, o verdadeiro tema fica “escondido” nos detalhes, e o publico em geral ta mais acostumado com enredos ja mastigados… (nao so nesse, mas tambem em outros filmes dele)
    Acho que o filme fala mais sobre como a melancolia chegou na familia e começou afetar a todos (tanto que no final o cunhado justine se mata), e não sobre o apocalipse em si… Li muuita critica negativa sobre o filme, mas acho que quem nao conhece o trabalho dele em outros filmes, acaba levando um susto mesmo

O que você pensa sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s