Os curtas de Roman Polanski

Roman Rajmund Polański está com 80 anos hoje e em plena atividade. Seu último filme foi o Carnage (muito bom por sinal!), lançado em 2011 e está com mais dois em produção. Provavelmente todo mundo já ouviu falar nele por causa dos seus filmes mais famosos, como O Pianista (2002), O Bebê de Rosemary (1968) e Chinatown (1974).

Ele já apareceu muito na mídia também por conta da sua vida pessoal um tanto conturbada. Em 1969, sua esposa Sharon Tate, grávida de 8 meses, foi assassinada de uma forma horrível pela Família Manson. Mais tarde Polanski foi condenado por estupro, foi julgado, mudou de país, ficou preso na Suíça, enfim, uma confusão só. Além de tudo, ele viveu na Polônia, durante a Segunda Guerra, então a infância dele foi terrível também. Essas histórias são contadas bem detalhadamente no livro Como a geração Sexo, Drogas e Rock´n´Roll Salvou Hollywood, do Peter Biskind. Recomendo muito muito esse livro se você quer conhecer a história de George Lucas, Coppola, Spielberg, Dennis Hopper e os bastidores do cinema hollywoodiano na década de 70. Vale a pena de verdade!

comoageraçao

Mas a carreira de Polanski começou muito cedo, quando ele tinha seus 20 anos. E hoje resolvi justamente mostrar essa fase que fica meio esquecida, quando ele ainda fazia curtas-metragens. Escolhi os que me chamaram mais atenção!

1. Sorriso Cheio de Dentes (título original: Usmiech Zebiczny, de 1957): Este é o primeiríssimo curta de Polanski, feito quando ele tinha 24 anos. É bem curtinho e, na minha opinião, aqui ele já deu sinais de que sabia fazer suspense muito bem. Assim que comecei a assistir me veio na cabeça O Inquilino, que foi feito muito tempo depois, em 76. Achei a atmosfera estranha e meio tensa e os enquadramentos todos na mesma vibe de O Inquilino. Ah, o curta não tem som mesmo, tá?

2. Assassino (Mordestwo, 1957): Esse pra mim foi o mais louco de todos. Quando acabou fiquei tipo, ?. Dá muita vontade de ver a continuação, haha! Esse curta foi feito na época em que ele era estudante na State Film School, em Lodz, na Polônia. O anterior também.

3. Dois homens e um armário (Dwaj ludzie z szafa, 1958): Sem dúvida, o filme mais diferente de todos os que já vi de Polanski. Ele tem um quê de comédia. No meio da história dos dois homens com o armário, tem umas situações paralelas meio desconexas, que acabam super rápido e não aparecem de novo, hahaha! Sem contar nuns planos super ousados como o do peixe no espelho, vocês vão ver. Ah, e nesse ele atua também.

4. Lâmpada (Lampa, 1959): Bom, esse curta já apareceu aqui no blog, no post sobre as bonecas assustadoras. É meu favorito de todos esses. Ele manda bem demais da conta no suspense, gente! Quero ser assim quando crescer, hahaha!

E o aí, o que vocês acharam? Qual vocês curtiram mais?

: )

Anúncios

2 comentários sobre “Os curtas de Roman Polanski

  1. Pingback: Em cartaz #10: O Bebê de Rosemary | Uma cadeira, por favor!

  2. Pingback: Filmes da semana #10: especial suspense! | Uma cadeira, por favor!

O que você pensa sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s